Como reduzir lesões no ballet

Como reduzir lesões no ballet

É normal ouvirmos falar de bailarinos que se machucaram dançando. Quem pratica ballet, inclusive, já pode ter presenciado algum tipo de lesão durante um exercício ou apresentação (ou mesmo sofrido uma). Por isso, veja as dicas da Petite Danse de como reduzir lesões no ballet:

Como reduzir lesões no ballet

Fonte: Petite Danse.

As lesões de pé, tornozelo e joelhos são as mais comuns entre bailarinos em decorrência, principalmente, das rigorosas exigências físicas e estéticas imposta pela prática do ballet. Além disso, a falta de conhecimento técnico e o desejo em conseguir os melhores papéis também acabam levando a lesões que, muitas vezes, são escondidas pelos bailarinos, o que só as agravam.

É importante se conscientizar desde cedo da importância de fazer até os movimentos mais simples de forma certa. Isso porque os exercícios, quando não executados corretamente, podem causar lesões sérias ou agravar problemas antigos, principalmente nos pés e joelhos. A correta execução da rotina de exercícios ajuda a reduzir as lesões no ballet.

Os professores também devem conscientizar seus alunos da importância de realizar os exercícios de alongamento e aquecimento antes de qualquer atividade. Isso porque esses exercícios ajudam a fortalecer a musculatura e deixá-la aquecida para uma rotina mais intensa de exercícios, o que ajuda a prevenir lesões no ballet.

Na luta contra as lesões que podem ocorrer durante a prática do ballet, muitos bailarinos têm aderido a outras rotinas de exercício que ajudam no fortalecimento da musculatura e no alongamento. Exercícios de musculação tradicionais e o método Pilates são alguns destes exercícios que têm se popularizado entre os bailarinos que buscam se prevenir de lesões.

Aula de Ballet

Fonte: Petite Danse.

O autoconhecimento também é fundamental para quem deseja reduzir as lesões do ballet. Muitas vezes é que o bailarino ultrapassa todos os seus limites durante as aulas ou mesmo na preparação de uma apresentação e acaba se sobrecarregando, tanto física quanto psicologicamente, o que pode gerar alguns problemas.

Em busca da perfeição, muitos bailarinos acabam se privando de uma alimentação saudável, o que fragiliza o corpo e pode até levar a perdas ósseas e, consequentemente, lesões. Há também casos em que o bailarino opta por uma rotina exaustiva de exercícios para melhorar a performance na dança, o que pode acabar excedendo seus limites e gerando lesões devido a esse esforço. O limite de cada um deve ser respeitado.

O uso frequente de sapatilhas de ponta também pode causar lesões nos pés e unhas das bailarinas. Ao ficarem na ponta dos pés, as bailarinas projetam todo o peso de seu corpo sobre eles, o que pode causar dores, calos, unhas encravadas e até levar a perda de algumas delas. A formação de bolhas de água e de sangue também é algo comum nestes casos.

Para evitar esse tipo de problema, usar sapatilhas de boa qualidade é fundamental. Além disso, as unhas dos pés devem ser cortadas sempre curtas. A utilização de ponteiras de silicone ou de pano acolchoadas dentro das sapatilhas também pode amenizar o problema. Caso ocorra piora no quadro, é importante procurar um médico.

Bailarinos Petite Danse

Fonte: Petite Danse.

Outra lesão comum entre bailarinos é a tendinite, um processo inflamatório que ocorre nos tendões devido ao esforço repetitivo. A tendinite causa dor intensa, sensibilidade e estalidos que podem ser extremamente incômodos. Ela deve ser tratada por um especialista e, geralmente, é necessária a realização de sessões de fisioterapia para fortalecer o tendão.

Dores musculares também são comuns entre bailarinos, principalmente depois da execução de uma nova rotina de exercícios ou da retomada da dança depois de um período parado. Neste caso, realizar alongamentos pode ajudar a reduzir as dores, assim como compressas geladas e massagem. Em casos extremos, a utilização de analgésicos pode ser necessária.

O ideal é que cada bailarino explore o próprio corpo e conheça seus limites. Isso ajuda muito a reduzir lesões no ballet e se manterem sempre saudáveis.

Comentários