fbpx

Coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional

Quem trabalha dançando sabe que nunca deixamos de aprender. Cada dia na carreira de um bailarino é uma possibilidade de aprender algo novo. Não somente sobre dança, mas também sobre si mesmo. O bailarino profissional Ivan Duarte, ex-aluno da Petite Danse que atualmente está no Sarasota Ballet, nos Estados Unidos, separou 6 coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional.

6 coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional

Fonte: Petite Danse

Veja 6 coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional

1. Aquecimento e alongamento

Não basta forçar o corpo para conseguir extensão. É importante alongar os músculos corretamente, principalmente quando o bailarino não é uma pessoa naturalmente flexível. Também é importante que a musculatura não fique muito tensionada durante os alongamentos, porque isso aumenta o risco de lesões.

Os aquecimentos também não devem ser esquecidos. Isso porque são eles que fazem o aumento do fluxo sanguíneo no músculo ativo, deixando-o mais preparado para a execução de passos mais complexos ou mesmo coreografias. A rotina de aquecimentos faz com que o bailarino comece a aula aquecido, e não frio, o que ajuda a prevenir lesões.

Também é importante que o bailarino se aqueça e se mantenha aquecido. Para isso, não é preciso recorrer a nenhum método obscuro. Hoje em dia, existem vários acessórios que podem ajudar o bailarino a se manter aquecido. Como roupas de aquecimento, botinhas e coletes especialmente desenvolvidos para esses fins.

Coisas que se aprende ao se tornar bailarino

Fonte: Petite Danse

2. Preocupação com a alimentação

Nem todo mundo é naturalmente magro e isso também ocorre no mundo da dança. Entretanto, não são só as pessoas com histórico de obesidade na família que devem se preocupar. Todo bailarino precisa se manter em forma. Não só através dos exercícios, mas também mantendo uma alimentação saudável e que lhe dê energia.

Para quem já está numa companhia de dança, isso pode ser ainda mais difícil. Isso acontece devido à rotina corrida de apresentações e ensaios, porém não é impossível. Deixar de comer pode ser tão prejudicial quanto comer demais, pois o bailarino acaba ficando sem energia. O ideal é ter um acompanhamento nutricional para saber o que e quando comer para obter seu melhor desempenho. Esse é um dos itens principais em relação as coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional.

3. Exercícios complementares

Academia, pilates, dentre outros exercícios, também são importantes para o bailarino profissional. Isso porque o ballet exige posturas específicas e complexas, que podem deixar o corpo realmente dolorido. Esses outros exercícios ajudam a alinhar a musculatura, além de contribuir para deixar o corpo mais forte para a execução dos mesmos.

Fazer exercícios que ajudam o corpo a ficar mais forte também auxiliam na prevenção de lesões e melhoram a postura sem forçar muito as articulações e os ossos, o que é fundamental para qualquer bailarino.

O que fazer ao se tornar bailarino profissional

Fonte: Petite Danse

4. Sem neurose

Quem quer ser bailarino precisa realmente levar o ballet a sério e se esforçar para isso, mas entendendo seus próprios limites. É claro que todo bailarino quer ser o melhor no que faz, executando todos os passos e coreografias de forma perfeita, mas tentar exceder seus limites pode ser bem perigoso, tanto para o corpo quanto para a mente.

Não é incomum que um bailarino viva para o ballet, mas também é preciso se desligar de vez quando e saber a hora de parar. Quem não faz isso pode entrar num estado de fadiga física e psicológica nada saudável, que certamente será prejudicial para a dança, além de fazer com que a pessoa perca o prazer em dançar. É fundamental levar o ballet a sério, mas sem perder o prazer nele.

5. Dormir

Dormir bem está entre as seis coisas que se aprende ao se tornar bailarino profissional. À noite, enquanto estamos dormindo, o corpo humano libera vários hormônios que nos ajudam no dia seguinte. Os músculos também seguem trabalhando, tirando o maior proveito desse momento de relaxamento. Quando não dormimos bem, o dia seguinte costuma ser muito ruim e os ensaios rendem muito pouco, o que nunca é bom para um bailarino profissional.

O que você deve saber ao se tornar bailarino profissional

Fonte: Petite Danse

Ter horário para dormir e acordar é algo importante para um bailarino, pois ajuda a manter uma rotina mais regrada. Manter um regime de sono em que se dorme o suficiente para o corpo e a mente descansarem não só ajuda a fazer os ensaios renderem mais, como também faz bem para saúde.

6. Ser sociável

Alguns bailarinos têm fama de antissociais porque não se comunicam bem com o resto do grupo. Muito disso ocorre devido à timidez ou mesmo a concentração, mas não é legal deixar de se socializar com outros bailarinos. Isso não significa se sentir obrigado a ser amigo de todo mundo, mas ser uma pessoa agradável e que sabe conversar.

Para ter uma boa convivência com os colegas de trabalho é importante saber conversar. Essa comunicação também vai ajudar na hora de falar com coreógrafos, diretores, supervisores, patrocinadores, etc. Além disso, ser um bailarino profissional significa ter que saber lidar com o público, o que exige uma boa dose de comunicação.

Fique ligado no site e veja mais dicas da Petite Danse para bailarinos.



A Petite Danse quer enviar conteúdos exclusivos para você!

Entre na nossa lista de e-mail e comece a receber agora mesmo conteúdos feitos para Professores, Alunos e Donos de Escolas.

Sucesso! Enviamos um e-mail para você, verifique seu SPAM